IPCtba
   

Pai, tenha fé

Lemos em Marcos 9.14-29, uma das histórias mais dramáticas narradas na Bíblia; também, em Mateus 17.14-21 e Lucas 9.37-43, lemos o mesmo episódio. 

No centro das atenções estava um pai, cujo filho sofria uma grave enfermidade espiritual; o menino se achava "possesso de um espírito mudo" (v. 17). Provavelmente, o silêncio a que o menino era subjugado pelo demônio, não dizia muita coisa, mas quando ele era atirado ao chão, e espumava pelo canto da boca, e rilhava os dentes (v. 18), numa cena assustadora, todos entendiam que ele estava dominado pelo mal. Esta condição já perdurava muitos anos (v. 21), determinando inclusive uma severa perda no seu desenvolvimento físico, pois, ao invés de crescer o rapaz estava "definhando" (v. 18). 

A possibilidade de ver o filho liberto de tão grande moléstia, levou o pai a procurar a Jesus e seus discípulos, cuja fama a respeito da matéria já era de todos conhecida. Mas a frustração veio à tona na seguinte declaração: "Roguei a teus discípulos que o expelissem, e eles não puderam" (v. 18). 

Ao final, os discípulos tomaram conhecimento de que a razão para o seu insucesso foi a falta do exercício das disciplinas espirituais; os discípulos deveriam orar mais, e muitas vezes, fazer seu tempo de oração vir acompanhado da abstinência de alimentos (v. 29). 

O jejum de per se é inócuo, não passa de dieta, mas a sua prática associada à oração e à meditação na Palavra de Deus é muito valiosa. Os discípulos deveriam considerar muito seriamente esta diretriz de Jesus, a fim de não mais serem tratados como "geração incrédula" (v. 19). 

O mais notável, nesta passagem, é o tratamento ministrado por Jesus ao pai daquele jovem. O Mestre concedeu uma audiência exclusiva àquele sofrido homem, que padecia as dores de seu filho; Jesus parou tudo o que estava fazendo para emprestar integral atenção ao coração de um pai. 

Aqui, já podemos extrair uma preciosa lição: quando se trata de questões familiares, encontraremos da parte do Senhor a mais absoluta prioridade. O mundo de hoje nos abriu a porta para conquistarmos o universo, deixando os interesses domésticos a um plano completamente secundário. Para o Senhor, a nossa casa vem em primeiro lugar. 

O acesso que Jesus concedeu ao pai, lhe permitiu exercitar a mais sincera súplica: "se tu podes alguma coisa, tem compaixão de nós e ajuda-nos" (v. 22). Tal oração encerra elevados ensinamentos que não podem passar despercebidos. O primeiro deles diz respeito ao poder de Deus - "se tu podes". Para Deus não haverá impossíveis (Lucas 1.37). 

A mãe cananita, cuja filha também se achava endemoninhada (Mateus 15.21-28), e o centurião romano, cujo servo estava em estado terminal (Lucas 7.1-10), foram mais enfáticos em sua convicção a respeito do poder de Deus, ganharam até elogios de Jesus. Mas este pai não deixou de reconhecer o valor do poder de Deus. Estejamos sempre confiantes, Deus pode mudar a sorte de nossa casa, de nosso casamento, de nossos filhos. 

Ao lado do poder, o pai reconheceu a misericórdia de Deus; o Senhor é Todo-poderoso, e Todo-misericordioso. Ao suplicar compaixão, este homem estava ciente de uma coisa: por piores que tenham sido suas decisões, por mais equivocadas que tenham sido suas atitudes, por mais que tenham sido graves os seus erros ao longo da vida, o "coração compungido e contrito, Deus não despreza" (Salmo 51.17). 

Por fim, ao ser instado a exercer sua fé, o pai rogou o auxílio de Jesus, pois tinha consciência de que por si mesmo não conseguiria levar a cabo seu intento. Sua declaração é emblemática: "Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé" (v. 24). E, sem dúvida, Jesus o ajudou. O mesmo se dá conosco. 

Para refletir: 1. Nossa fé é tão grande que podemos dispensar a ajuda do Senhor? 2. Nossa fé é tão pequena que não pode alcançar o Senhor? 

Rev. Juarez Marcondes Filho


Localização

R. Comendador Araújo, 343
80420-000 - Curitiba-PR

Contato

  +55 (41) 3224-0302
Gabinete Pastoral: das 9h às 17h
Secretaria da igreja: das 7h às 19h

Domingos

Culto às 9h no Templo
Escola Dominical às 10h
Culto às 11h no Espaço de Adoração
Culto às 19h no Espaço de Adoração

Acesse também

Oxigênio Evangelismo e Arte
Rábio IPB Rádio IPB
De coração a coração De Coração a Coração
ACP Associação Comunitária
Presbiteriana

Revista Identidade Cristã

Revista Identidade Cristã