Pastoral da Semana

Cristo é o manancial da vida, porque dele procede a vida verdadeira, a vida eterna, a vida que jamais acaba."

Pastoral 25/02/2024

Pastoral da Semana
por Rev. Juarez Marcondes Filho

FONTE DA VIDA

"Em ti está o manancial da vida; na tua luz vemos a luz" (Salmo 36.9).
As caudalosas águas de um grande rio não sugerem que seu início se dá numa pequena fonte, muito distante daquele ponto de observação; uma singela mina d'àgua vai aos poucos se avolumando até apresentar-se como uma imenso mar de água doce.
Almejamos uma vida exitosa, abundante, transbordante; a cultura vigente nos aponta como caminho do sucesso uma consistente formação escolar e uma rentável profissão, tudo acompanhado de uma orientação para bons investimentos. Provavelmente se estivermos falando de êxito financeiro, pode ser uma boa trilha, mas nada se acha de antemão garantido. No entanto, se estamos buscando algo mais profundo, verdadeiro sentido de vida, esta pode ser uma fonte completamente enganosa.
Nosso lema é estarmos firmados em Cristo, na sua Palavra e na sua Vida. Há firmeza na vida de Cristo porque ele é o Verbo da Vida, a Luz dos Homens, e nos dá a Vida Abundante. Desta feita, queremos examinar a declaração do salmista, quando afirma que o Senhor é o "manancial de vida".
A samaritana (João 4) diariamente se dirigia ao poço de Jacó, uma espécie de reservatório de água para os habitantes da região.
Em certo dia, o Senhor Jesus fez questão de ir a este lugar para encontrar-se com ela; o diálogo começou com o simples pedido do Mestre, nos seguintes termos: "Dá-me de beber" (v. 7).
Minimamente, dois paradigmas foram quebrados, o de um homem dirigir a palavra a uma mulher que não era de sua família, e um judeu conversar com uma samaritana (v. 9). O gesto propositado de Jesus visava levá-la a conhecer a água da vida, que preencheria sua sede espiritual (v. 14).
Em Jerusalém, Jesus afirmou: "quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva" (João 7.38), e uma nota explicativa se faz acompanhar, informando que se tratava de uma referência ao ministério do Espírito Santo, que viria habitar o coração dos crentes (João 7.39).
A figura da água é muito sugestiva, porque o ser humano pode permanecer privado de alimento por tempo considerável, já de água, não. Ela é vital, imprescindível, necessária para o bom funcionamento do organismo.
Da mesma sorte, não podemos abrir mão do concurso de Cristo em nossa vida para obtermos verdadeiro significado em nossa existência. A vida sem Cristo torna-se ressequida, como entoa o hino sacro: "a alma sequiosa" (NC 147).
A água da vida torna a folha imarcescível, fazendo a flor desabrochar e dar seu fruto abundantemente.
Em Cristo encontramos a fonte da vida, que vai inundando o coração com a transbordante graça de Deus; de sua parte dimana o poder, capaz de sustentar-nos tem tempos sombrios, pois a luz divina se esparge em todo o nosso ser. Cristo é o manancial da vida, porque dele procede a vida verdadeira, a vida eterna, a vida que jamais acaba.
Retornando ao episódio da samaritana, o que despertou sua atenção foi o fato de não ter mais que retornar ao poço para obter a água comum; ela já estava exausta de ter que carregar seu cântaro dia após dia (v. 15). Certamente ela teria ficado encantada com o advento da água encanada. Mas não é disso que Cristo está tratando e, sim, de "uma fonte a jorrar para a vida eterna" (v. 14).
Os dias de nossa vida muitas vezes se nos reservam experiências amargas, realidades que entristecem nosso coração, mas os "rios de água viva" (João 7.37), expressão que encerra o sentido do transbordamento da presença de Deus no crente, pela presença gloriosa do Espírito Santo, fazem-
nos suplantar as dificuldades, assegurando alegria em meio a dores, vitória em meio a batalhas, força em meio a debilidades, porque o Senhor é a nossa fonte de vida.